AgroPonte reúne 60 mil pessoas em Criciúma

- PUBLICIDADE -

Jéssica Pereira
Foto: Agroponte
Foram cinco dias de trabalho na AgroPonte que fizeram a gerente de varejo Angela Cantagna ter a certeza que na próxima edição do evento terá a presença garantida. Na primeira vez que participou da feira que teve início na última quarta e encerrou ontem, a receptividade do público e o interesse nos produtos apresentados fizeram a diferença. “Nesta edição trouxemos apenas as cachaças destiladas do mel e as caipirinhas de cachaça, mel e limão. A aprovação das pessoas que visitaram o nosso estande fez com que no próximo ano nós participaremos do evento com todos os produtos que temos a oferecer”, enaltece Angela.
A mesma ideia foi compartilhada pelo expositor Lucas Mariot. “Já participei da feira com a cooperativa que fazemos parte, porém representando a nossa marca de cachaça é a primeira vez. A AgroPonte é uma grande vitrine para mostrar o nosso produto e exaltar a força do trabalho que vem sendo desenvolvido aqui na nossa região. Só assim mostramos que temos uma cachaça de qualidade sendo produzida na nossa região”, aponta o expositor.
A 6ª Feira do Agronegócio & Agricultura Familiar, 4ª Feira Exposição Estadual de Animais e 1º Leilão AgroPonte contou com a presença de 60 mil pessoas durante os cinco dias de evento. Os visitantes puderam conferir os produtos trazidos por 180 empresas, entidades e cooperativas com atividades relacionadas com a agricultura e pecuária vindas dos estados do Sul e Sudeste, com destaque para Santa Catarina. Na área externa, estavam 40 pecuaristas catarinenses com bovinos, ovinos, caprinos, equinos, peixes, aves, pássaros e abelhas.

 

Fortalecimento do agronegócio do Sul

- PUBLICIDADE -

“A exemplo do ano passado, as expectativas foram atendidas, principalmente, em relação ao envolvimento das cooperativas e associações e também na parceria com a Associação de Criadores de Bovinos de Corte. Hoje não precisamos mais convencer o produtor a participar, ele criou essa demanda”, coloca o gerente regional da Epagri, Fernando Preve. “Conseguimos mais uma vez mostrar a força que o agronegócio do Sul tem e fazer essa ligação do campo com o urbano e tudo isso é possível graças aos nossos parceiros”, complementa o diretor da NossaCasa Feiras & Eventos e organizador da AgroPonte, Willi Backes.

Jéssica Pereira - Agroponte 2016 (54)-min

Animais são comercializados durante 1º leilão

A AgroPonte deste ano trouxe como novidade a realização do 1º Leilão. A iniciativa foi considerada um sucesso pelos organizadores. Dos 260 animais, aproximadamente 65% foram vendidos na pista e outros 15% comercializados após a realização do leilão. “Nenhum animal comercial voltou para as suas fazendas, todos foram comercializados”, ratifica Backes. Participaram do leilão, animais comerciais, recrias, matrizes e reprodutores e matrizes PO e PC.

Movimento econômico é enaltecido

De acordo com o secretário da Fazenda de Criciúma, Cloir da Soler, a realização de feiras atinge diretamente o movimento econômico da região e, principalmente, o de Criciúma. “O que vimos na AgroPonte ressalta a importância das feiras, temos aqui pessoas e expositores de vários locais da região e até mesmo fora do Estado”, aponta Cloir. “Essas pessoas também acabam movimentando outros setores de Criciúma, como o de alimentação e hospedagem”, completa Da Soler. De acordo com o secretário da Fazenda, 1,2 mil famílias vivem da agricultura. “Esse número é maior do que muitos outros municípios e a AgroPonte também serve para divulgar essa cultura”, destaca Da Soler.

Saiba mais:

A AgroPonte 2017 – 7ª Feira da Agronegócio e Agricultura Familiar, 5ª Feira Exposição Estadual de Animais e 2º Leilão AgroPonte será de 16 a 20 de agosto de 2017.

-- PUBLICIDADE --
Compartilhar

NOTA: O DN Sul não se responsabiliza por qualquer comentário postado, certo de que o comentário é a expressão final do titular da conta no Facebook e inteiramente responsável por qualquer ato, expressões, ações e palavras demonstrados neste local. Qualquer processo judicial é de inteira responsabilidade do comentador.